sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Corações Calejados!


Corações calejados... Socorro ChagasFala-se de mãos e pés calejados, mas pouco se fala de corações calejados. Portanto... quanta gente há por aí vivendo como se não fosse possível ter sentimentos porque um dia foram magoadas.As pessoas mais duronas, que parecem indiferentes ao amor, carinho e ternura, são pessoas endurecidas pela vida. São vítimas de uma dor que não souberam gerir.Uma empresa mal administrada vai à falência; um coração mal dirigido vai à ruína. Somos nós os gerentes da nossa vida. A nós cabe as decisões importantes que conduzirão nosso caminho.Você já experimentou andar com um sapato apertado? No início a gente agüenta, faz até cara bonita e se diz que depois vai amaciar. Mas isso nem sempre acontece e depois de algum tempo percebemos que, mesmo se as pedras no caminho podem fazer mal, melhor mesmo é deixar esse sapato de lado, ainda que seja aquele que a gente tanto desejou e até se sacrificou para adquirir.Há pessoas que calejam nosso coração. Fazem parte da nossa vida e as amamos, mas nos fazem mal... tanto e tanto que acabamos fechando aos poucos as portas do nosso coração a outras possibilidades. Nos trancamos dentro dele e vivemos na escuridão da nossa própria sombra.Não permita que alguém magoe seu coração a ponto de te deixar insensível. Não deixe de acreditar nas estrelas porque um dia as nuvens escuras encobriram seu céu.Se seu coração está calejado, cuide dele com mais carinho ainda. Que seja ele a transformar a atitude dos outros em relação a você e não o contrário! Se alguém que você ama só quer brincar com seu coração, talvez essa pessoa não mereça o amor que você sente E por mais difícil que seja, guarde seu coração das asperezas, não deixe que as decepções o endureça.Olhe em outras direções, dê uma chance aos que te querem bem eao seu coração de ser cuidado com o carinho que ele merece.E você também! Se era isso que você queria ouvir, o recadoesta dado. Agora é com você....Bom dia!!!

Vamos Ajudar os Desabrigados!!!


Bom dia!!!

Prezados Amigos:

Convidamos para a campanha solidaria em favor de nossos irmãos catarinenses do Vale do Itajai, duramente atingidos pelas chuvas.
Doe roupas, alimentos não pereciveis, água e calçados nos seguintes locais de arrecadação até sexta-feira dia 28:
-Prefeituras Municipais de todo o extremo sul.
-Em Araranguá: Prefeitura, Casa da Cultura, Corpo de Bombeiros, Secretaria Regional, Supermercado Giassi Centro, Cidade Alta e Sombrio, Supermercados Big Bem, Ciart UCCA, SAMAE, Unisul, ACIVA, CDL e os Colegios Estaduais.

Qualquer dúvida entre em contato com o Corpo de Bombeiros pelo fone 193.

Agradecemos sua colaboração com aqueles que sempre foram solidários com o extremo sul.

Helena Martins Daniel.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Desânimo

Desânimo
O desânimo muitas vezes parece por tudo a perder.
Mas, se queres ser gentil para contigo, não permita que tal estado permaneça mais que um segundo, mais que um momento fugaz em tua mente.
O desânimo deixa-te solitário, mostrando duramente tua fraqueza, tua pequenez, tua falta de confiança na vida que teima em florescer a cada passo que dás.
Quer, em essência, provar-te que és o contrário daquilo que Deus estabeleceu para ti.
Mas, se deres da tua amorosidade, da tua compreensão, verás no lugar da tua tão imaginária pequenez, tua força reaparecer, iluminando tua doce natureza.
Uma natureza protegida dos perigos do mundo e até mesmo dos teus pensamentos que por muitas e muitas vezes tentam derrubar o que de mais precioso um ser pode trazer consigo: a bênção de Deus, o sinal na fronte a brilhar, mostrando do que és feito.
O desânimo não pode servir àquele que busca pelo seu tesouro.
O desânimo não pode coabitar com a fé que existe no crescer, no expandir.
O desânimo é o sinal preciso de que deste lugar às ilusões, é o sinal de que calaste o teu coração.
O caminho às vezes pode ser árduo, mas... Para cada passo, uma flor. Para cada flor, um conhecer.
Para cada conhecer, um pouco mais de ti, da tua essência, será posto em tuas mãos.
Nestes simples encontros repousa o motivo para estares aqui, agora.
Desperta Criança de Deus, a vida é mais, muito mais do que podes imaginar!

***Sincero***


Sincero



Sincera é uma palavra doce e confiável.
Sincera é uma palavra que acolhe ... e
essa é uma palavra que deveria estar
no vocabulário de toda alma.



Sincera foi uma palavra inventada pelos romanos.

Sincero vem do velho, do velhíssimo latim...

Eis a poética viagem que fez sincero de Roma até aqui:


Os romanos fabricavam certos vasos de uma cera especial.



Essa cera era, às vezes, tão pura e perfeita
que os vasos se tornavam transparentes.

Em alguns casos, chegava-se a se distinguir um objeto
- um colar, uma pulseira ou um dado -
que estivesse colocado no interior do vaso.



Para o vaso, assim fino e límpido, dizia o romano vaidoso:

- Como é lindo!!! parece até que não tem cera!!!

"Sine-cera" queria dizer: "sem cera"
uma qualidade de vaso perfeito, finíssimo, delicado,
que deixava ver através de suas paredes;
e da antiga cerâmica romana, o vocábulo passou a
ter um significado muito mais elevado.



Sincero é aquele que é franco,
leal, verdadeiro, que não oculta,
que não usa disfarces,
malícias ou dissimulações.



O sincero, à semelhança do vaso,
deixa ver, através de suas palavras,
os nobres sentimentos de seu coração

Aos amigos Sinceros!!!

Vale a Pena***


Vale a Pena

Vale a pena

a tentativa e não o receio;

Vale a pena

confiar e nunca ter medo;

Vale a pena

encarar e não fugir da realidade...


Ainda que haja fracasso,

vale a pena lutar.

Vale a pena discordar do melhor amigo

e não apoiá-lo em suas atitudes erradas;

Vale a pena corrigí-lo;

Vale a pena encarar-se no espelho e

ver se está certo ou errado;

Vale a pena procurar ser o melhor e aí...


Vale a pena ser o que for...

Enfim...

Vale a pena viver a vida,

já que a vida não é tudo que ela

pode nos dar,

Mas sim tudo o que podemos dar por ela.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Floresça junto com a primavera




Floresça junto com a primavera

Equilibrar. Esse é o primeiro e mais importante mandamento nesses dias de fúria. É fácil? Não, não mesmo. É o maior dos desafios.

Na minha longa vivência das coisas espirituais, pude, com notável freqüência, perceber como tudo conspira - a realidade bruta, os acontecimentos imprevisíveis, os detalhes incontroláveis das coisas humanas, a explosiva heterogeneidade das pessoas.

Por todos os lados, no orçamento, antagonismos profissionais, amor, questões de família, saúde, a brecha está sempre pronta a se abrir e, por ela, nosso almejado e cultivado equilíbrio vai por água abaixo. É desesperador, mas ficar desesperado não leva a nada produtivo.

Passo inicial é perceber que a baliza a orientar nossas trajetórias deve ser, sempre, a da modéstia e da humildade. Após entender essa demanda inicial, compreender: equilibrar é lição que constantemente exige repetição, uma repetição que deixe a inteligência de prontidão, bem treinada e vigilante. Equilibrar na meninice, na adolescência, na maturidade, depois e sempre. Equilibrar em presença dos problemas, dos empecilhos, dúvidas, hesitações, angústias, perplexidades. Equilibrar quando for derrotado - pois nenhum estrago é definitivo, frente às aptidões de motivação e superação que carregamos - e, mais difícil, equilibrar também nas vitórias, pequenas ou grandes, já que quase sempre são provisórias.

Se a vida foge ao controle, se ela degringola mais e mais, se o sentido dela escapa e nos deixa atônitos, mais é urgente fazer o elogio do equilíbrio, pôr em prática a prudência, fortalecer a constância e desenvolver a serenidade em cada momento, obstáculo superado, barreira transposta, embaraço, impedimento, estorvo.

Assim, o sábio opta pelo trajeto virtuoso, sem exageros de prepotência ou de submissão. Ele desenvolve, progressivamente, sua capacidade de controle e tolerância diante das injúrias oriundas da fortuna: suportando, altivo, injustiças, incômodos, fraudes e passionalidades. Para tudo isso, sabe bem o homem elevado, é preciso imensa paciência e capacitada construção do equilíbrio.

O modelo que nos serve de referência, infelizmente, valoriza demasiado a competição e a vitória. Promove, insistentemente, o acúmulo do excessivo em detrimento do equilíbrio coerente. Não é de se estranhar que encontremos por aí tanta contrariedade e conflito, impedindo ou, pelo menos, dificultando muito o crescimento psicológico e espiritual dos indivíduos.

Nesses dias de entrada da primavera - a mais bonita e menos cruel das estações -, vamos olhar para isso tudo com carinho e, pelas manhãs agradáveis que logo desfrutaremos, buscar algo tão fundamental, simples e trabalhoso ao mesmo tempo: equilibrar.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Cortar o Tempo...


Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente

Carlos Drummond de Andrade

Como é possível conhecer o outro? Você pode amar e, através do amor, esse milagre acontece. Se amar o outro, uma grande compreensão surge naturalmente. Não que tente compreender o outro: você simplesmente ama o outro como ele é, sem julgamentos.

O amor de verdade não é uma fuga da solidão, o amor de verdade é uma solitude abundante. A pessoa está tão feliz em ficar sozinha que tem vontade de compartilhar. A felicidade sempre quer compartilhar. Ela é excessiva, não pode se conter, como a flor não pode conter sua fragrância - ela tem que se espalhar pelo ar.

(Textos de OSHO, do livro: Faça o seu coração vibrar)

A idiotice é vital para a felicidade.



Gente chata essa que quer ser séria, profunda e visceral sempre.
A vida já é um caos. Por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado?
Deixe a seriedade para as horas em que ela é inevitável: mortes,separações, dores e afins.
No dia-a-dia, pelo amor de Deus, seja idiota!
Ria dos próprios defeitos. E de quem acha defeitos em você.
Ignore o que o boçal do seu chefe disse.
Pense assim: quem tem que carregar aquela cara feia, todos os dias, inseparavelmente, é ele. Pobre dele!
Milhares de casamentos acabaram não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice.
Trate seu amor como seu melhor amigo, e pronto.
Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo, soluções sensatas, mas não consegue rir quando tropeça?
Alguém que sabe resolver uma crise familiar, mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana?
Quanto tempo faz que você não vai ao cinema?
É bem comum gente que fica perdida quando se acabam os problemas. E daí, o que elas farão se já não têm por que se desesperar?
Desaprenderam a brincar. Eu não quero alguém assim comigo.
Você quer? Espero que não!
Tudo que é mais difícil é mais gostoso, mas... a realidade já é dura; piora se for densa.
Brincar é legal!
Adultos podem (e devem) contar piadas, passear no parque, rir alto e lamber a tampa do iogurte.
Ser adulto não é perder os prazeres da vida e esse é o único "não" realmente aceitável.
Teste a teoria.
Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou sorrir...
Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração!
Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e que tal um cafezinho gostoso agora?
Ailin Aleixo

A PRINCÍPIO ...




De norte a sul, de leste a oeste, todo mundo quer ser feliz. Não é tarefa das mais fáceis. A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.
Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos,sarados, irresistíveis.
Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica, a bolsa Louis Vitton e uma temporada num spa cinco estrelas.
E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando.
Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário,queremos ser felizes assim e não de outro jeito.
É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Por que só podemos ser felizes formando um par e não como pares? Ter um parceiro constante, não é sinônimo de felicidade, a não ser que seja a felicidade de estar correspondendo a expectativas da sociedade, mas isso é outro assunto. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com parceiros, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.
Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.
Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o
que nos mobiliza, instiga e conduz mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um game onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo.
* * * * * * * *

terça-feira, 18 de novembro de 2008


Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.
Clarice Lispector

segunda-feira, 10 de novembro de 2008


Assim...sou assim
-
Que você me queira assim
Exatamente como eu sou
Por horas, liberta e atrevida.
Às vezes até incontida
De repente insana, mundana,
Desmedida.
Tristonha muitas vezes
Por males dessa vida
Mas feliz, sorridente,
Na maioria das vezes
Para ver-te contente.
De vez em quando mal-criada,
Stressada.
Em outras um doce de educada,
Amada.
De quando em vez silenciosa
Ociosa
Outrora, agitada,
Gata assanhada, desvairada...
Que você me queira assim
Queria estar perto de mim
Queira-me menina-amante-mulher
Só não queira mudar nada em mim.

Amigassssssss....


Amigas
-
Amigas não foram feitas para serem cabides
Nem ombros ou muros de lamentações
Não estão à disposição de nossas necessidades
Não são tão pouco travesseiros de refúgios
Que jogamos nossas lágrimas de desespero
No egoísmo de pretensas obrigações
Amigas são seres que gostam da gente, que amam a gente
Quero amigas, sim, muitas, mas que se sintam felizes comigo
Que juntas possamos gargalhalhar das últimas piadas, abertamente
Que conversemos de futilidades, sem críticas, horas seguidas, horas a fio
Que juntas assistamos filminhos nos cineminhas do nosso bairro
Um lanchinho depois, recheado de segredinhos, dividindo histórias
Combinando reuniões, compras, moda e diversões
Num clima de muita satisfação pela amizade conseguida
Comentando, repetindo as lidas domésticas, o nosso dia a dia
Contando as eternas novelas da filharada, do marido querido
Quero amigas, sim, que eu possa agradá-las, mimá-las
Com alegria incontida e felicidade perene, aconchegá-las
Que possamos dividir nossas verdades, nossas opiniões
Que a cada dia que passar tenhamos muito mais carinho a ofertar
Amigas, eu as quero assim, bem alegres, felizes respeitando nossas vidas
No aconchego, no respeito, no carinho, no afeto, quero milhões de amigas
Porque se alguma necessidade tiver que ter, se problemas aparecerem, elas virão para consolar
Não as quero cabides, nem dividir aflições com meus problemas particulares
Elas não foram feitas pra isso, elas são nossas irmãs de alma e de coração
Viva as amigas, perenes, sinceras, queridas e companheiras
Companheiras de nossas jornadas, de nossas caminhadas
De braços dados no desfilar de emoções,de felicidades
Nesse dia especial, dia da amizade sincera
Dia da fraternidade, da lealdade
Uma emoção em forma de homenagem
Vinda do meu coração
Da minha gratidão
Felicidades pra todas vocês
Minhas amigas queridas

segunda-feira, 3 de novembro de 2008




O coração é um país livre situado ao lado esquerdo
do peito de qualquer indivíduo. Compreende quatro
estados: Amor, ódio, dúvida e amizade.
O estado do amor é fértil e cheio de carinho,
e a sua capital é a importante cidade dos ciúmes, onde
existem muitos sonhos e fantasias, mas também muita realidade.
Essa cidade é conhecidíssima pelos seus castelos
suspensos que são considerados como a oitava maravilha do mundo.
O estado do ódio, é algo mortífero habitado pelos desiludidos do amor.
Em seu subsolo há muitas armadilhas, é a cidade da
vingança onde existem várias fábricas de inimizades.
Este estado é atravessado pelo caudaloso rio de sangue.
O estado da dúvida é muito conhecido, está envolto em
humanos.
O sol da esperança aquece seus desolados habitantes.
Sua capital incerteza, onde sai a estrada que conduz
ao pórtico do suicídio, este estado é banhado pelo rio das lágrimas.
O estado da amizade é o mais agradável.
Tem por capital a sinceridade, onde a estrada da bondade
guia seus habitantes.
E o estado marítimo, na sua cidade existe uma fortaleza,
a do bem que restitui as investidas da intriga e hipocrisia.
Entre as cidades mais importantes mencionamos afecto,
alegria, felicidade.
Este estado é banhado pelo mar das rosas e nele existe
um cantinho para vocês.